A religião confundiu-se com o Direito, em vários momentos históricos. O Direito Religioso pauta questões morais relevantes para a vida em sociedade, tais como a laicidade estatal, a liberdade religiosa, e o tratamento tributário dado às igrejas.