Monólito em Utah cumpre profecia de 2001 Uma Odisseia no Espaço

juracy.soares@uni...
Publicado em: qua, 25/11/2020 - 08:36

Um misterioso monólito (objeto, monumento ou obra constituída por um único bloco de pedra ou, no caso, metal) foi detectado no último dia 21/11 no deserto do estado americano Utah, por uma patrulha que fazia uma ronda de helicóptero pelo local. A localização exata do enigmático objeto ainda não foi divulgada para evitar – pelo menos por enquanto – a peregrinação de curiosos à região.

As imagens - em fotos e vídeos - divulgadas até o momento chamam a atenção para uma estranha semelhança com o monólito do filme 2001: Uma Odisseia no Espaço. O filme é um clássico da ficção científica e estreou no cinema em 1968. No filme, baseado nos escritos de Arthur C. Clarke e roteirizado por Stanley Kubrick, uma peça monolítica preta é uma espécie de elo entre passado e futuro.

De volta a Utah, o piloto do helicóptero - Bret Hutchings – explicou que um dos biólogos que estavam a bordo e realizavam contagem de carneiros selvagens, acabou detectando a presença do objeto, já que sobrevoavam exatamente o local onde está fincado. As informações foram dadas ao canal local, o KSLTV, que repassou a matéria ao The Guardian.

O perfil da Agência Aérea Oficial de Segurança Pública de Utah no #Instagram, o @utahdpsaerobureau começou a ganhar centenas de seguidores a partir do dia 21, logo após as postagens das primeiras fotos e vídeos na rede social.

As especulações sobre o monólito já começam a se espalhar por diversas partes do mundo. Certamente ainda vão dar motivo às mais variadas teorias e certamente até mesmo a “explicações” sobre vida alienígena, fim do mundo e até mesmo para a instalação do #stargate , que seria um portal interestelar capaz de transportar dimensionalmente - se é que essa palavra existe – seres humanos e até objetos inanimados pelo espaço-tempo.

Será que estamos diante da conexão fática com o previsto na Teoria da Relatividade Espacial, na qual Einstein, ainda em 1905 evapora os conceitos autônomos das noções de espaço e tempo, ao fundir essas duas grandezas em uma única dimensão ou entidade que foi chamada de espaço-tempo?

No revolucionário filme de 1968, a mensagem ou a possibilidade de locomoção na dimensão espaço-tempo é desenhada com o uso de imagens, em vez de uma narrativa explicativa. Mesmo que a obra de Clarke tenha concebido a ideia original de modo mais claro, Kubrick optou por uma “experiência visual”, abandonando – propositalmente – uma explicação verbal.

O certo é que logo teremos a localização desse novo monumento revelada e assistiremos legiões de viajantes peregrinando até o local. Obviamente não faltarão os espertalhões que se aproveitarão dessa oportunidade para uso religioso, para o bem ou para o mal, apontando para a peça metálica encravada no meio do deserto como um “sinal” de que “o fim está próximo” ou que “o portal está se abrindo”. Certamente, dirão, estamos nos “últimos dias” para a preparação para uma nova era.

E você? Acredita que esse monólito é algo sobrenatural? Ou que deve ser obra de algum artista plástico fanático pelo filme de Kubrick? De qualquer modo, já vale a pesquisa sobre quantas milhas são necessárias para voar até Utah no próximo ano! Vai que você faz uma fezinha aos pés da pedra e pede inspiração para os números da Mega-Sena? 

Quer saber mais sobre questões relacionadas às crenças e religiões? Sugerimos o curso online Educação, Ética e Cultura Religiosa.
 

Prof. Juracy Soares - Unieducar Universidade Corporativa

Nota do editor: os textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais iconográficos publicados no espaço “opinião” não refletem necessariamente nosso pensamento, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.